fbpx
contato@doencasdepelebrasil.org.br

Estudo aponta eficácia de novo tratamento para Psoríase Pustulosa Generalizada, doença de pele rara e potencialmente fatal.

Dados foram publicados no New England Journal of Medicinei e representam possível alternativa de tratamento para doença que afeta 9 em cada 1 milhão de brasileiros [ii]

São Paulo, fevereiro de 2022- A farmacêutica Boehringer Ingelheim anuncia resultados do estudo de fase II com espesolimabe, um novo tratamento injetável para as crises de Psoríase Pustulosa Generalizada (PPG), doença rara e grave que acomete 9 a cada 1 milhão de brasileiros [ii]. Os dados acabam de ser publicados no New England Journal of Medicine, uma das principais revistas científicas do mundo[i].

O estudo mostrou que espesolimabe melhora significativamente os sinais e sintomas dos pacientes durante a crise de PPG. O novo tratamento, um anticorpo contra o receptor da interleucina 36 (IL-36), foi eficaz e rápido no controle da atividade da doença em pacientes adultos com crises moderadas e gravesi.

A pesquisa avaliou por 12 semanas, 53 pacientes, que foram randomizados para tratamento com dose única de espesolimabe ou placebo. A maioria dos pacientes, no início do estudo, tinha densidade alta ou muito alta de pústulas (pequenas bolhas de pus) e qualidade de vida prejudicada pela doença.

Entre os desfechos alcançados, 54% dos pacientes não apresentavam pústulas visíveis após uma semana da infusão de dose única de espesolimabe, em comparação com 6% dos pacientes que receberam placebo [i].

“Na Boehringer Ingelheim, estamos empenhados em encontrar terapias transformadoras para ajudar no avanço do tratamento de pessoas que precisam delas com urgência”, disse a Dra. Emmanuelle Clerisme-Beaty, chefe de desenvolvimento clínico e assuntos médicos, dermatologia, Boehringer Ingelheim. “As descobertas indicam que espesolimabe pode ter um impacto significativo e positivo em pacientes com crise de PPG.”

Doença rara, a PPG é pouco conhecida por pacientes e até mesmo por médicos [iii]. Os avanços das pesquisas científicas mostraram que, em múltiplos aspectos, a PPG é distinta da psoríase vulgar, também conhecida como psoríase em placas, doença autoinflamatória caracterizada pelo aparecimento de placas avermelhadas com descamação esbranquiçada ou prateada [iv]. Na PPG, a pele torna-se avermelhada e ocorre uma erupção generalizada de pequenas bolhas de pus, chamadas de pústulas. Dor e queimação na pele são frequentes. Além disso, o paciente pode apresentar febre, cansaço e calafrios. É um quadro mais grave do que o da psoríase em placas e que pode levar à morte se não tratada adequadamente [iv].

“Os pacientes que apresentam surtos de PPG precisam de tratamento rápido, muitas vezes internação hospitalar, e podem ter complicações e risco de morrer pela doença. Os tratamentos disponíveis hoje são adaptados do que se usa para psoríase em placas, mas nem sempre são eficazes, podem ter início de ação mais lento e podem agravar algumas comorbidades” explica a dermatologista e chefe do serviço de dermatologia da Unicamp Dra. Renata Magalhães.

A médica reforça que com o melhor conhecimento dos mecanismos imunológicos da doença, foi possível o desenvolvimento desta medicação mais específica e, segundo os estudos, muito eficaz e segura, podendo contribuir para a resolução mais rápida da crise, melhor controle dos sintomas, prevenção de complicações e diminuição dos riscos de outras medicações, com impacto positivo na qualidade de vida destes pacientes. Os dados apresentados são promissores e um divisor de águas para estes pacientes que podem passar a ter um tratamento personalizado.

“Recomenda-se que pacientes que tenham diagnóstico de psoríase ou não, mas que observem a pele avermelhada, dolorosa e com pústulas em disseminação, procurem atendimento médico, preferencialmente um dermatologista. Novos tratamentos ajudarão a atender as necessidades dos pacientes, melhorando a dor física e psicológica” concluí a especialista.

Sobre a Boehringer Ingelheim

A Boehringer Ingelheim está entre as 20 principais farmacêuticas do mundo e é a maior de capital fechado, com cerca de 52 mil funcionários globalmente. Desenvolve soluções de saúde com grande valor e impacto para pessoas e animais e atua há mais de 130 anos, justamente, para trazer soluções inovadoras em suas três áreas de negócios: saúde humana, saúde animal e fabricação de biofármacos. Em 2020, obteve vendas líquidas de 19,6 bilhões de euros e investiu 3,7 bilhões de euros em Pesquisa e Desenvolvimento, aproximadamente 19% das vendas líquidas. No Brasil há quase 70 anos, a Boehringer Ingelheim está instalada no estado de São Paulo, com escritório na capital e fábricas em Itapecerica da Serra e Paulínia, mas atua em todo território nacional. Pelo quinto ano consecutivo, a empresa foi reconhecida pela certificação Top Employers, que elege as melhores empregadoras do mundo por suas iniciativas de recursos humanos.

Para mais informações, acesse:

Facebook – Boehringer Ingelheim / Instagram – @boehringeringelheimbr / Site – Boehringer Ingelheim

Referencias:

[i] Bachelez H, et al. Trial of Spesolimab for Generalized Pustular Psoriasis. N Engl J Med. 2021 Dec 23;385(26):2431-2440.
[ii] Soares CPCC et al. Psoríase Pustulosa Generalizada no Brasil: um retrato baseado no DATASUS. Poster apresentado no 17O Congresso Paulista de Saúde Pública, outubro/2021.
[iii] Crowley JJ, et al. A brief guide to pustular psoriasis for primary care providers. Postgrad Med. 2021 Apr;133(3):330-344.
[iv] Sociedade Brasileira de Dermatologia

Confira a fonte aqui.

Leia também